Sejam Bem Vindos!

Inspirado nos blogs educacionais existentes na NET, este é dedicado a educação. Nele é possível encontrar atividades, avaliações, textos pedagógicos de todos os niveis, planejamentos, livros, slides, dicas de filmes, músicas e todo contexto educacional que é desenvolvido no Ensino Infantil, Ensino Fundamental I e II, Ensino Médio e nos cursos de Pedagógia.

sábado, 13 de novembro de 2010

Plano Anual de Arte - 4º Série/4ºAno por Simone Helen Drumond

PLANO ANUAL DE ARTES
PROFESSORA: SIMONE HELEN DRUMOND
4ª SERIE DO ENSINO FUNDAMENTAL

De acordo com a Lei no. 9394/96, a Arte é considerada obrigatória na educação básica.

Arte é a expressão de uma época, sociedade e cultura. A educação em arte propicia o desenvolvimento do pensamento artístico, que caracteriza um modo particular de dar sentido às experiências das pessoas: por meio dele, o aluno amplia a sensibilidade, a percepção, a reflexão e a imaginação. Aprender arte envolve, basicamente, fazer trabalhos artísticos, apreciar e refletir sobre eles. Envolve, também, conhecer, apreciar e refletir sobre as formas da natureza e sobre as produções artísticas individuais e coletivas de distintas culturas e épocas. O documento de Arte expõe uma compreensão do significado da arte na educação, explicitando conteúdos, objetivos e especificidades, tanto no que se refere ao ensino e à aprendizagem, quanto no que se refere à arte como manifestação humana. A primeira parte do documento contém o histórico da área no ensino fundamental e suas correlações com a produção em arte no campo educacional; foi elaborada para que o professor possa conhecer a área na sua contextualização histórica e ter contato com os conceitos relativos à natureza do conhecimento artístico. A segunda parte busca circunscrever as artes no ensino fundamental, destacando quatro linguagens: Artes Visuais, Dança, Música e Teatro. A partir dos PCNs foi possível evidenciar nesse plano as questões relativas ao ensino e à aprendizagem em Arte que permeiam os objetivos, conteúdos, critérios de avaliação e orientações didáticas.

Partindo dessas afirmações, por que não ampliar a visão da Arte na 4ª Série do Ensino Fundamental como um espaço não só plástico, musical, teatral e sinestésico, mas também representante de manifestações sociais como a Culinária, a Moda, os Ludicismos e a Tecnologia disponível no CEST (entendendo aqui esta palavra como às estratégias e produções humanas que visam à melhor adaptação da criança ao ambiente em que vive, bem como ao seu maior bem-estar).

Claro que a forma artística nos apresenta valores estéticos, porém, mais do que isso, é uma grande aliada nas discussões sobre o ser humano diante de suas várias épocas e contextos. A Arte é, pois, uma maneira sutil e agradável de pensar sobre ética, cidadania, diversidade de culturas e a natureza. E o mais importante, é uma fonte inesgotável, está em constante produção – seus artífices somos nós, sua matéria é o tempo e o espaço. Cabem a nós, educadores do CEST, portanto, aproveitar nosso rico material da Rede Salesiana de Escolas na sensata intenção com o material didático - Arte e Habilidade para educar artisticamente a criança a partir da própria criança e seus saberes. Tendo como objetivo geral a produção (que os alunos sejam capazes de produzir, aprender e fazer), a fruição (apreciação da arte dentro do universo do quais os alunos fazem parte. Arte como produto social) e a reflexão (construção do conhecimento sobre o trabalho artístico pessoal e como produto da história).

Em toda a obra - Arte e Habilidade da 4º Série no que diz respeito aos objetivos específicos. Cabe ao educador ao longo do ano letivo de 2008 perceber com inteireza precisa quais habilidades e competências o aluno já desenvolveu e quais ainda precisam desenvolver-se. As habilidades e competências contidas no material desta série permitem a criança a:

 Expor sua relação de autoconfiança com a produção artística pessoal, respeitando a própria criação e a dos colegas, através de suas experiências cromáticas e das técnicas diversas adolescidas.

 Descrever a função e os resultados do trabalho artístico, reconhecendo sua própria experiência de aprendiz e o habito viso-motor de direcionalidade.

 Produzir seu senso artístico e criatividade por meio de diferentes materiais.

 Expressar-se através do estudadas formas humanas, em arte.

 Relacionar sua habilidade rítmica (expressão corporal), a sensibilidade auditiva (aprimoramento do ouvido) e a sensibilidade musical propriamente dita – expressão - criação – imaginação.

 Informar por meio de diversos materiais sua imaginação, espírito criativo, a habilidade manual, a expressão artística e a organização das seqüências espaço-temporais.

 Relatar a valorização de suas descobertas acerca da pintura como alternativa de lazer e desenvolvimento da criatividade, solidariedade e estimulo a imaginação.

 Expor de acordo com sua maturação a analise e síntese de seus saberes e perspectivas visual mediante comparação de: cores, formas, relações entre objetos no espaço, elementos presentes e ausentes, limite espacial, figura/objeto como um todo nas obras e atividades desenvolvidas ao longo do ano de 2008.

 Trabalhar em grupo visando o aprendizado a partir de um convívio social pacífico conhecendo e respeitando diferentes pontos de vista artísticos.

 Descrever a função e os resultados do trabalho artístico, reconhecendo sua própria experiência de aprendiz.

As habilidades e competências especificadas nesse plano são as mais pertinentes aos conteúdos propostos nos livros da Rede Salesiana de Escolas da 4ª Série e no material que será trabalhado em 2008 - Arte e Habilidade. Os conteúdos foram distribuídos a fim de que os alunos possam expor suas potencialidades artisticamente e sua criatividade, através da pluralidade de temas contidos no calendário escolar do CEST, que na referida série, foram distribuídos em três amplos eixos temáticos, que são:

1. O cotidiano e a história da cidade que aborda os conceitos básicos de comunicação artística, ponto, linha, luz, superfície, volume, cor, espaço, movimento, ritmo, composição, elementos nos quais se articulam técnicas, materiais e procedimentos criativos.

2. Diferentes maneiras de viver através da observação das obras de artes e da cultura regional que visam: oferecer instrumentos para aproximar os alunos da visão artística em diversas situações. Trabalhando com isso quebra-cabeça artístico e Detetive da Arte, visita ao Museu do Índio, exposição de obras artísticas dos alunos, documentos históricos e folclóricos.

3. Construindo história da cidade utilizando técnicas que vão do lápis de cor ao pincel com um bom repertorio de atividades que também envolvem expressão corporal como: dança, musica e teatro.

Além das fichas portfólio outras estratégias serão utilizadas em sala de aula para que se possam atingir as metas estabelecidas quanto ao ensino da Arte. A interação com materiais, instrumentos e procedimentos variados nas áreas das Artes Visuais serão projetados na sala de Artes Visuais. No auditório a dança, a musica e o teatro além de servir de estímulo para o debate das multiplicidades de informações artísticas que de certo modo irão proporcionar ao aluno conceitos de experimentação, de conhecimento e de utilização das mais diferentes formas de expressão. A ampliação dos saberes artísticos que serão empregados será realizada com incentivo à pesquisa (com utilização constante da Biblioteca e do Laboratório de Informática). A leitura da realidade artística ficará por conta dos trabalhos de campo que irão transcorrer nas atividades extra-classe. Tendo em vista que a proposta de Rede Salesiana de Escolas é o trabalho com avaliação continuada, as estratégias propostas serão as diretrizes para construção dos critérios do processo avaliativo. Avaliar em Artes é um processo amplo, que exige apreciação pessoal, pela comparação, importância e decisões. Avaliar pressupõe definir objetivos, fixar critérios, colher informações que nos darão juízos de valores, para reconhecer limites e saber até que ponto os alunos serão capazes de dominar um determinado assunto. “É importante estabelecer relações com um trabalho produzido e os demais, sem discriminação estética, artística, étnica e de gênero”. (PCNs – MEC, 1997). Ao avaliar uma representação teatral, musical ou dança, devemos respeitar as limitações e diferenças individuais. É importante não cercear a livre expressão do aluno , seja qual for a técnica a ser avaliada. É importante não subestimar a capacidade dos alunos. Desde que dentro do contexto, devemos deixar fluir a projeção da personalidade de cada um. Ao educador de Artes compete no processo avaliativo, saber usar todos os recursos disponíveis, selecionar o que vai avaliar e determinar objetivos, construindo uma idéia básica através de critérios. Os critérios avaliativos não deixarão duvidas aos alunos e lhes darão autonomia para que realizem suas atividades avaliativas com calma, segurança e criatividade. O instante da criação da obra é sempre grandioso para quem o faz: é o momento de exprimir formas e forças que se mesclam a emoção e razão. Portanto, ao educador compete pensar bem a grandeza do artista no momento da criação e só depois avalia-lo. Determinar o que deseja avaliar quanto ao conteúdo, ensino e retorno, bem como a comparação e inter-relação do que se quer avaliar. Os PCN´S dão liberdade às escolas a adaptarem o conteúdo de Arte na prática das atividades. Esse fator é favorável na execução das atividades artísticas, a partir desse contexto, a analogia do amplo calendário escolar, que tem como foco: o tema da Campanha da Fraternidade 2008 que visa o respeito à vida em todas as suas dimensões estará em constante diálogo com os livros da Rede Salesiana dessa série e com as temáticas trabalhadas em Artes nos três trimestres, com isso, proporcionará ao aluno uma nova holística, conforme sua maturação, sobre sua: O cotidiano e a história da cidade, Diferentes maneiras de viver e Construindo história da cidade. A partir deste contexto, também é possível a utilização do Espaço Amazônia para relação desse e de outros assuntos comum à nossa realidade e aos que serão tratados na Semana de: Filosofia e da Consciência Negra. As fichas portfólio das obras de artes Portinari (Homens), Tarsila do Amaral (Operários) e Michelangelo (Tondo Doni) estimulam os alunos a realizar uma exposição de fotos artísticas, através de um banner, na Galeria Irmã Michelina Necchi sobre a importância da história do contexto no CEST na cidade. A interdisciplinaridade ocorrerá nos conteúdos pautados na proposta Curricular de Artes da 4ª Série do Ensino Fundamental anexada a esse plano.


PROPOSTA CURRICULAR DE ARTES DA 4ª SERIE DO FUNDAMENTAL

CONTEÚDO DO 1º TRIMESTRE

Temática: O cotidiano e a história da cidade

Conteúdos Conceituais:

1. Observando as cores primarias, secundarias, quentes, frias e a escala cromática nas obras de Djanira da Motta e Silva (Festa do Divino), Kandinsky (Pintura), Henri Matisse (A dança), Tarsila do Amaral (Abaporu), Paul Cézann (Natureza morta), Portinari (Homens), Edgar Degas (Bailarinas) e Alfred Sisley (A neve em Louveciennes) – Ficha portfólio 3 e 5.

2. Criatividade e fantasia – Mascaras – Fichas portfólio 6 e 7.

3. Conhecendo museus – Fichas portfólio 8 e 9.

4. O corpo humano (figuras estáticas e moveis) – Ficha portfólio 10.

5. Simetria – Fichas portfólio 11 e 12.

6. Obras de Pablo Picasso – Fichas portfólio 13 e 14 (técnica de pintura sobre lixa).

7. Páscoa – Ficha portfólio 15.

8. Paisagismo – Fichas portfólio 16 e 17.

9. Sucatas – A caravela – Ficha portfólio 18.

10. Conhecendo as obras de Tarsila do Amaral – Fichas portfólio 19 e 20 (quebra-cabeça).

11. Ritmo – Coordenação motora fina – Ficha portfólio 21.

12. Semana dos povos indígenas – Colagem e visualização espacial – Ficha portfólio 22.

13. Mulher da minha vida – Kirigami – Ficha portfólio 23 e 24.



CONTEÚDO DO 2º TRIMESTRE

Temática: Diferentes maneiras de viver

Conteúdos Conceituais:

1. Arte grega – Frisas – Ficha portfólio 25 e 26.

2. Tradução gráfica – Estilização – Ficha portfólio 27

3. Teatro de sombras – Luz e sombra – Ficha portfólio 28, 29 e 30.

4. Manipulação (massa plástica, epóxi ou biscuit) – Ficha portfólio 31 e 32 (linhas).

5. Conhecendo as formas geométricas nas obras de artes de Cláudio Tozzi – Fichas portfólio 33, 34 e 35.

6. Efeitos – imagem e movimento – Ficha portfólio 36.

7. Georges Seurat e manipulação de imagens – Ficha portfólio 37.

8. Homem da minha vida – Porta retrato. Ficha portfólio 38.

9. Kandinsky e as figuras circulares – Fichas portfólio 39 e 40.

10. Folclore – Lendas – Fichas portfólio 48 e 49.

11. Instrumentos musicais – Fichas portfólio 41e 42.



CONTEÚDO DO 3º TRIMESTRE

Temática: Construindo história da cidade

Conteúdos Conceituais:

1. Laboratório expressivo – Teatro (cenário e caracterização de personagens) – Fichas portfólio 43.

2. Monocromia – Fichas portfólio 44 e 45.

3. Detetive da arte Lasar Segall e Michelangelo – Ficha portfólio 46.

4. Tangran (exercícios lógicos de percepção visual) – Ficha portfólio 47.

5. Técnica de pintura com efeito marmorizado – Ficha portfólio 50.

6. Origami – Ficha portfólio 51.

7. Semana da criança – Ficha portfólio 52.

8. Natal – Fichas portfólio 53 e 54.

2 comentários:

  1. excelente seu trabalho,completo e dinâmico

    ResponderExcluir
  2. 03.01.13 excelente seus trabalhos, parabéns..

    ResponderExcluir

Total de visualizações de página